OPINIÃO

9 Replies to “OPINIÃO”

  1. Muitos parabéns pela nova página. Saliento também a excelente formação desenvolvida para Procuradores das Almas, na EBS da Lagoa. Excelentes testemunhos.
    Obrigado, Irmãos

    António Sequeira
    Rancho de Romeiros Vila de Nordeste/Pedreira

  2. Gostaria de lançar um dezafio ao grupo cordenador de lancar candidatura das romarias a património da unesco

  3. Rancho de Romeiros da Senhora da Luz: Pedreira/Vila de Nordeste – 2015

    Estrela do Céu Perpétua, Senhora da Luz,
    Santa Maria, preferida, e extremosa Mãe,
    do teu glorificado seio nasceu o Bom Jesus,
    Bendita sejais pelos séculos, sem fim, Amén.

    Cantamos, ao longo da ilha, com clamor,
    Iluminas os romeiros que seguem em oração,
    em cada passo dado, sentimos com fervor,
    um renascer de paz, de partilha, de comunhão.

    Somos romeiros de fé, testemunhas da alegria,
    humildade, esperança, caridade e louvor,
    na Maravilhosa Semana que é a Romaria,
    renascem homens livres, repletos de Amor.

    Avé Maria, Cheia de Graça, fonte de ser que reluz,
    nós te queremos louvar, em súplica cantada,
    Senhora Miraculosa, Santíssima Mãe de Jesus.

    Em ti encontramos forças para levar a nossa cruz,
    as orações rezadas te oferecemos na caminhada,
    Dá-nos a Tua Santa Benção Nossa Senhora da Luz!

    22/02/2015
    António Manuel Amaro Correia Sequeira
    Rancho de Romeiros Senhora da Luz – Pedreira/Vila de Nordeste

  4. Felicito todos quantos desenvolveram esta página WEB. Para além de estar excelente a nível de design, está muito acessível e com informação de grande utilidade.

  5. Caros Irmãos e Amigos,

    Na minha condição de romeiro, tomei a liberdade de vos dirigir estas linhas, a fim de partilhar convosco a minha satisfação por, em boa hora, o “Movimento de Romeiros de São Miguel” ter decidido proceder a “um levantamento e recolha, de todo o material existente relativo à história e vida deste Movimento”.
    Penso ser da maior importância esta vossa iniciativa (e eventualmente outras, como a da criação de um museu do romeiro), que considero a todos os títulos louvável, o que irá certamente permitir uma maior compreensão e aprofundamento (apesar do que já foi até agora compilado e escrito) sobre as raízes, a história e a espiritualidade desta maravilhosa devoção, que eu próprio decidi abraçar com entusiasmo desde 1983.
    Embora não tendo nascido em S. Miguel, devo confessar-vos que me senti fascinado, desde a primeira hora em que para cá vim viver (1980), pela “nossa” cultura religiosa e seus valores. Enfim, por tudo aquilo que o devoto sacerdote e escritor vilafranquense, Padre Ernesto Ferreira, conseguiu, com mestria, descrever no seu livro intitulado “A Alma do Povo Micaelense”.
    Se me é permitido, gostaria de partilhar convosco uma curta passagem do referido livro, sobre os Romeiros:
    “Não queiras desarreigar de seus corações a mimosa flor da fé; não queiras quebrar o vaso que encerra o perfume das tradições que receberam de seus maiores e que conservam como a mais preciosa herança. Arrancar da alma popular a ideia do maravilhoso, o sentimento de religiosidade, é um crime nefando, porque é tirar-lhe toda a esperança de gozo e de felicidade.”
    Pela boca do ilustre sacerdote, se consegue perceber do alto grau de estima que o mesmo nutria pelos Romeiros, e da sua enorme preocupação em querer manter intacta (sem desvios) esta multissecular devoção. Na verdade, não podemos nunca cair na tentação de a querer “modernizar”, ou de querer criar algo de novo que a venha descaracterizar.
    Este excerto permite-nos ainda entender muito sobre valor da fé, da alegria e da felicidade que os nossos irmãos romeiros que nos precederam traziam nos seus corações. Nós, também já tivemos a felicidade de experimentar esses mesmos sentimentos.
    Como sabeia, os “Romeiros do Arcanjo São Miguel” são um Movimento de oração, de doação e de partilha, alegre e bem-disposto, não obstante as dores, os sacrifícios e as dificuldades, maiores ou menores, que cada romeiro enfrenta na sua caminhada. Sabemos, irmãos romeiros, que não caminhamos sozinhos nesta nossa aventura espiritual: vamos sempre acompanhados e amparados pela Sagrada Família de Nazaré.
    “Irmãos: quantos são?”, perguntam os que nos pedem orações. “Somos 38”, responde o irmão “procurador das almas”. Efectivamente, somos 35 irmãos + 3 (Jesus, Maria e José). Assim, como sabeis, está sempre presente connosco a Sagrada Família de Nazaré, que é o modelo perfeito das famílias cristãs. Podemos afirmar que uma das características, ou carisma, deste movimento é o amor à família. Quantos milhares de famílias, para além das nossas, vivem a Romaria, nos apoiam, rezam por nós e nos acolhem nas suas próprias casas? Aqui referimo-nos, obviamente, ao único e exclusivo modelo, natural, de família, querido por Deus e defendido pela Sua Igreja.
    Neste contexto, seria talvez oportuno partilhar convosco uma das mais recentes intervenções do nosso Papa Francisco: “Hoje é a memória litúrgica da Bem-Aventurada Virgem Maria de Fátima. Caros jovens, aprendei a cultivar a devoção à Mãe de Deus, com a recitação diária do Rosário; prezados enfermos, senti Maria presente na hora da cruz; e vós, amados recém-casados, invocai-A para que na vossa casa nunca falte o amor nem o respeito recíproco.” (Audiência Geral de 13 de Maio de 2015).
    Não encontrarão eco estas reflexões do Santo Padre nos “Romeiros do Arcanjo São Miguel” que, com as contas do Rosário na mão, cantando a Ave-Maria, visitam as “casas de Nossa Senhora”?
    Ignorar estas realidades objectivas parece-me, queridos Irmãos, não se ter entendido ainda a verdadeira natureza das “Romarias”.
    Pelo facto de sermos “Ranchos de Romeiros do Arcanjo São Miguel”, não o somos menos “Ranchos de Romeiros de Nossa Senhora”, ou “Ranchos de Jesus”.
    Usando este mesmo tipo de argumentação (bastante em voga na nossa diocese, infelizmente) não faria qualquer sentido que congregações e ordens religiosas que não ostentam o nome de Jesus nas suas designações, fossem, por esse facto, menos pertença de Jesus. Seria absurdo pensar-se, que pelo facto de se denominarem “Irmãs Servas de Maria Imaculada”, “Congregação de S. José de Cluny”, “Franciscanos da Imaculada Conceição”, estas instituições da Igreja, fiéis ao seu carisma, estivessem mais afastadas de Jesus, do que outras que ostentam o Seu nome. Com toda a franqueza: não estaremos a cair em preciosismos ou modas teológicas que nada têm a ver com a doutrina católica?
    Há que respeitar e defender, caros irmãos, a verdade e a integridade dos “Romeiros do Arcanjo São Miguel”. É um dever sagrado de todos os romeiros, ao qual não podemos fugir. Como nos ensina o Papa Francisco, “na piedade popular, por ser fruto do Evangelho inculturado, subjaz uma força activamente evangelizadora que não podemos subestimar: seria ignorar a obra do Espírito Santo.” («Evangelium Gaudium», n.º 126).

    Um abraço fraterno do irmão Castro

  6. RANCHO DE ROMEIROS DE S. JORGE 2016
    (Vila do Nordeste/Pedreira)

    Valoroso Mártir S. Jorge, nosso padroeiro,
    guia cada irmão, nesta santa caminhada,
    a estrada é encontro num rumo verdadeiro,
    em que brota a esperança, e, a fé é renovada.

    Cada passo, na calçada é renascer. É alimento.
    É abertura à Palavra de Deus, bem escutada.
    A oração e o silêncio são portas de acolhimento,
    do Divino que emerge da natureza contemplada.

    Seguindo, em frente, no caminho com devoção,
    cantamos, a Deus Pai, a Deus Filho, com louvor,
    ao Espírito Santo, que nos fortificam o coração,
    e, nos levam a chegar, mais longe, com fervor.

    Nas Casas de Deus, que descobrimos na jornada,
    a oração é a força da vontade, do nosso querer,
    Meu Bom Jesus ao entrar na Vossa Santa Morada
    no nosso coração pulsa o Bem Divino a renascer.

    Semente de fé, misericórdia, amor, Santa Irmandade,
    que nos atraiu para viver «o Milagre da Romaria».
    Desejamos, assim, que esta semana se torne Eternidade.
    Um testemunho cristão, sempre presente, em cada dia!

    António Manuel Amaro Correia Sequeira
    03/02/2016

  7. A nora do Irmão Mestre de Fenais da Luz – Carlos Manuel Sousa Cabral teve um acidente rodoviário e está em coma. Peço a todos os irmãos que rezem a Nossa Senhora da Luz e a S. Jorge (Nordeste) e todos os Irmãos de outros ranchos que rezem aos seus padroeiros e padroeiras, para que de acordo com os desígnios de Nosso Senhor Jesus Cristo e da Sua Mãe Maria Santíssima, o todo poderoso ajude no melhor desfecho para esta situação que é difícil para todos os amigos e familiares.. Seja bendita e louvada a vida paixão, morte e ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo!
    Agradeço ao Irmão Francisco a informação – ele trabalhou em Ponta Delgada, no Tribunal, com a esposa do Irmão Mestre Carlos Cabral, alguém que me tem acolhido do ar frio da noite da Romaria desde o ano de 2001.
    Força Irmão!

  8. Rancho de Romeiros da Senhora da Luz: Pedreira/Vila de Nordeste – 2017

    Caminhamos com Maria
    ao encontro de Jesus,
    nesta Santa Romaria
    de Nossa Senhora da Luz.

    Cada alvorada, na vereda, é um momento.
    O romeiro é um andarilho da devoção.
    Desperta em cada irmão um sentimento,
    que conquista o seu mimoso coração!

    As nossas passadas de fé, são sons de luz.
    Ecoam, cintilam, com atributos de amor,
    na caminhada fica pluma, a pesada cruz,
    pela comunhão em Jesus Cristo – Salvador.

    Caminhamos unidos nesta Romaria Sagrada,
    ao encontro da paz, na partilha e redenção,
    alimentando na doce aurora da madrugada,
    a Irmandade Santa, que renasce na oração.

    Somos Teu povo humilde, Mestre e Senhor,
    Queremos sempre louvar-Te com fervor,
    Para, finalmente, chegarmos mais além…

    Caminhamos em cada dia com esperança,
    levando na nossa a alma uma lembrança:
    Em Maria: “Encontrar a Luz, fazendo o Bem!”.
    03/03/2017
    António Manuel Amaro Correia Sequeira
    Rancho de Romeiros Senhora da Luz – Pedreira/Vila de Nordeste

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *